quarta-feira, 27 de abril de 2011

Palavras de quem ama (mas também não quer mais)

Vou te dar o texto mais bonito do mundo. E, quando você ler, vai saber que é pra você.

Vou falar do teu sorriso, disfarçado pelo teu olhar melancólico de quem sempre guarda demais.
Frases que marquem, como as pintas do teu braço direito, e que indireitem teu andar desengonçado, dos teus pés tão confusos quanto tua cabeça, que sempre se enrolam na hora de escolher que direção seguir.
Vou unir tuas palavras às minhas, engolir meu orgulho e repetir incansávelmente o quanto ainda me importo. Vou jurar de pés juntos que fomos um erro, mas um erro bom, que serviu só pra gente ver a vida inteira de outra forma.
Vou te provar que ao que senti nunca existiu igual, mas que há anos estou pronta pra caminhar sozinha.
Vou falar o quanto você me inspira, mas sem me lamentar, ou reclamar que nunca demos certo. Só vou agradecer por ainda contar com teus braços ao meu redor sempre que preciso.

Fujo todos os dias, com medo de olhar pra trás, esperando já exausta por tudo o que parece nunca chegar.
Mas nunca sei o que espero, e sigo parada, tentando descobrir o que me faz querer tanto o que vem pela frente.
Enrolo em meus dedos sílabas perdidas, que quando se unem, falam bem menos do que seu abraço parece me dizer.
Repito sentenças e abuso do ódio, mas sempre estendo a mão na esperança de te ver bem.

Não sei o que é viver sem te ter, apesar de nunca realmente te querer.
O maior paradoxo da minha vida, nada mais é do que a única saída e solução pro tanto que digo.

Quando falo que sou vazia e não sinto mais nada, é por saber que nunca vou encontrar algo que me deixe do jeito que você me deixou. Por saber que não te quero, mesmo sendo tão claro que só ao teu lado sei que sou capaz de mais.
Por tudo o que vimos, por tudo o que fomos, por tudo o que nunca seremos e o que eu nem faço questão de ser.

Todos os dias uso o sorriso que ganhei de você. E me pergunto: Pra quê eu quero esses outros 6 bilhões se, no fim das contas, eu sempre posso contar com você?

3 comentários:

iarashi disse...

er..

Débora disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Débora disse...

Lendo o final, lembrei da música da Tópaz que diz: Fomos feitos um pro outro mas existem outros 6 bilhões também♪ :D Gosto muito de ler o que tu escreve, na maioria da vezes me identifico, haha :) @deborasribeiro