quinta-feira, 2 de julho de 2009

By the time that we get through, the world will never ever be the same

Ah, a mudança.
Faz parte de todo este processo, atingirmos um patamar em que quase nada mais importa.
Sabe quando se faz coisas sem pensar em receber nada em troca? É quase isso.
Um dia você passa a gostar TANTO de alguém/alguma coisa, que já não interessa o que acontece daí pra frente. Só esse amor todo já te completa, te contenta, e conforma (não 100%, porque SEMPRE rola um DRAMA, mas enfim).

Ontem acordei assim.
Acordei sorrindo. Li e-mails antigos que me fizeram chorar, mas que me lembraram COMO eu já consegui ser 99,9% feliz, e que no fundo, só depende de mim mesmo ser deste jeito (já diria o Valentín).

Quando digo que é janeiro de novo, é porque coisas boas tão acontecendo. É porque tô feliz, é porque se melhorar, estraga. Janeiro me fez bem, foi como uma rajada de ar fresco num dia abafado, quase como aqueles que já presenciei tantas vezes em Santa Maria.
Quero mais que NUNCA conseguir manter esse nível, manter a constante e não me perder no meio do caminho, como fiz outras vezes.

A espera agora não é mais sentadinha naquele canto que você me deixou. É uma espera ativa, porque, de fato, o tempo cura tudo. E por mais que tenha demorado e que tenha sido um saco ficar sentada lá, eu levantei feliz da vida e otimista pelo o que SEI que está por vir.

Não vou deixar meu pessimismo me derrubar. Não agora.
Não tô chutando o balde, e nem to desistindo de tudo o que acredito. MUITO pelo contrário. Tô fazendo o que tu me ensinou a fazer, tô finalmente conseguindo pegar TUDO aquilo que aprendi e colocar em prática.

Não tem sensação melhor.

3 comentários:

Tiozinho disse...

belo texto.
que seja um eterno janeiro.
;)

iarashi disse...

eu tava ctg em janeiro.

em uma boa parte dele
[ na melhor parte dele pra mim]



bjo

Emerson disse...

que bacana,você tem um bem escrito blog....sempre que der,vou dar uma passada aqui ! :)

beijos !!!!!!!!

Emerson