quinta-feira, 8 de abril de 2010

Just do me a favor: open your window*


Lembro que há muito tempo atrás, quando eu ainda achava que a FRESNO era uma banda emo, ruim e com músicos sem qualidade, acabei vendo, sem querer, o clipe de “Mr. Confusion”, do Beeshop.

Aquilo me deixou completamente sem reação.

Então perai: O cara que toca na banda que eu achava ruim tinha um projeto solo? E um projeto solo que era BOM?

Obviamente tratei de ouvir Fresno com calma depois desse dia. Ouvi tanto que eles foram assunto do meu trabalho final de graduação e hoje até posso dizer que sou fã dos caras e que admiro muito o som que eles fazem. Mas isso, claro, não vem ao caso.

É um fato muito curioso SIM, alguém que aprendeu a gostar de Fresno a partir do momento em que conheceu Beeshop. A coisa geralmente acontece ao contrário.



A verdade é que o tal “Lucas Silveira Beeshop-Paraíba” possui muito talento. E isso talvez não seja tão gritante pra quem acompanha de fora o trabalho do quarteto gaúcho que ele lidera há aproximadamente 10 anos (aproximadamente porque eu não sei a data correta, claro)...


Semana passada a grande novidade no twitter era o fato de que o primeiro álbum do Beeshop, intitulado “The Rise and Fall of Beeshop”, já estava disponível pra download.

Demorei pra ouvir. Não estava em casa, não tinha como baixar, enfim. Só lia os comentários de quem já tinha escutado, e tive certeza: precisava ouvir o mais rápido possível.

Não vou ser hipócrita aqui e falar “então fui na loja, comprei o CD e ouvi no carro”. Não foi assim. Entrei na comunidade dele mesmo e lá já encontrei o link pra download.

Eu já tinha algumas canções do Beeshop que faziam parte do “The Really Really I’m Sorry EP”, então já sabia que o trabalho dele era classudo. Mas as coisas sempre parecem ganhar uma magia diferente quando são BEM gravadas, não?

Ainda mais quando ganham uma roupagem diferente e mesmo assim, não deixam a essência inicial se perder.


A impressão que fica é obviamente aquela que quase todo mundo deve ter tido: O guri amadureceu. Passou de um sofredor a alguém que grita seu amor a quem quiser ouvir. Mas de um jeito sutil, que ao mesmo tempo consegue ser visceral.

A voz do Lucas se mostra melhor a cada faixa. Vai de doce a forte, intensa. Age como se tivesse interagindo com o ouvinte, como se tivesse, literamente, falando sobre sentimentos que, de fato, existiram (E ainda existem).

E talvez isso que me surpreenda no Beeshop. É um trabalho honesto. Esse é o verdadeiro Lucas. Talentoso, que mostra suas várias “facetas” e diversas influêcias musicais em absolutamente todas 13 faixas.

E essa é parte curiosa, deliciosa e incrível de um projeto solo: é só uma pessoa fazendo o som que quiser. Não são cinco caras discutindo sobre que rumo devem levar. E a não ser que o cara seja esquizofrênico, essa é a chance que ganha pra fazer o que bem entender. Aí você pensa “Fazer o que nos der na telha nos dá grandes chances de errar.” Claro. Mas não se você SOUBER o que está fazendo. E acreditem, o cara SABE.


Entre as canções, destaco aqui minhas favoritas (e que certamente mudarão ao longo do tempo, todas músicas tem um nível de prezabilidade altíssimo): a divertida “Driving All Night Long”, a viciante “Cookies”, a “de rasgar o coração” (E primeira música de trabalho do CD, que tá com o clipe pra sair!) “Come and Go” e a que até então era inédita pra mim, “Go on”.


Acho bem difícil ninguém ter um pouquinho de vontade de ouvir esse CD depois dessa rasgação de seda CONFESSA aqui. Mas, na boa... Se eu soubesse descrever melhor o que esse álbum me causou, descreveria.

Como não sei chegar nesse ponto, fica a dica: Baixem esse disco.

E depois de baixar, escutem e façam como vou fazer: comprem.


Beeshop é uma daquelas coisas que só um arquivo de mp3 não basta. A gente precisa ter em mãos pra realmente ter certeza de que é real.



Pros curiosos:

- esse vídeo mostra a grandiosidade da coisa.

- myspace

- comunidade oficial no orkut


*Só eu que acho que essa parte de "Driving All Night Long" lembra Elizabethtown? Quem já viu o filme, tá ligado: "some music needs air: roll down your windown". MUITA coincidência.







9 comentários:

iarashi disse...

haha beeshop é ótimo.
conheci graças a voce,obviously.
acho mtooo similar a dashboard confessional....que eu sou apaixonada, entao... nao tem como nao gostar

bolinho´s word disse...

Lucas Cesar o mestre !!!

caradepanela disse...

Só eu que acho que essa parte de "Driving All Night Long" lembra Elizabethtown?

- A primeira coisa que eu pensei quando ouvi essa música foi isso! Adorei tudo o que tu disse, gostei demais do cd também. +_+

Rone disse...

Querida Renuska,
Em 2006 um grupo de amigos músicos na mesa do bar comentaram o som da banda Fresno. No momento achei que meus amigos eram loucos, um som adolescente... não poderia ser bom. E em 2008 pude me libertar de preconceitos e descobri se não a melhor, uma das mais importantes bandas na cena atual; Chateado por ter perdido tanto tempo sem conhecê-los pelo menos algo me consola: acho que os descobri antes de vc, rsrs.
The rise and fall of beeshop é agora o cd mais tocado no meu system, além deu ter todo a discografia e dvds anteriores.

um abraço, Rony

Lu disse...

Conheci a Fresno por vias parecidas, mas foi pelo Esteban. Fiz inclusive um post sobre isso (http://eraumvicio.wordpress.com/2010/04/12/e-ai-eu-virei-emo/ ) - merchan barato -

Depois conheci o Beeshop e passei a respeitar, de fato, o trabalho dos caras.

Lucas canta com o coração. E o cd só desperta em quem ouve a mesma vontade: agir com o coração.

Seu post ilustra bem a sensação de "de nada mais a declarar" porque o cd por si só já diz muito.

PS: minhas preferidas são 'All i need' e 'lovers are trouble'.

abs,
@lu_figueiredo

dark diamond disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
dark diamond disse...

vc tem toda razao.
adorei oq vc postou.
disse tudo nem tenhu mto o que dizer.

eu ja ouvir e realmente e maravilhoso.

vc e mto talentosa, continue sempre assim.

beijos ate mais.

Moderación disse...

Achei interessante porque também entrei nessa parte musical assim. Eu não gostava de Fresno, na verdade abominava. Até que uma amiga me mostrou uma música do Esteban, que é o projeto do Tavares, assim como o Lucas tem o Beeshop, e eu ADOREI, só que nem sabia quem era o cara e enfim. Depois que soube que era do baixista da Fresno, passei a ouvir umas músicas, (ou)vi Fresno com outros ouvidos, depois passei pro Beeshop, e hoje não sei dizer qual dos três me encanta mais! O Lucas é um músico E TANTO, escreve coisas maravilhosas e o sucesso que está tendo com o Beeshop é o mínimo que ele merece.

Bita disse...

Nossa me identifiquei e mto com seu post! Comigo foi a mesma coisa. Não suportava nem ouvir o nome da banda "fresno". Tirava maior sarro qnd ouvia esse nome.
Comecei a gostar depois que ví eles tocando com o Chitãozinho&Xororo naquele esqueminha da Coca-Cola. Tirando o lado comercial e tal da coisa pensei: "Poxa esses meninos não devem ser fracos, pq tocar com o Ch&Xo não é para qualquer um. Se eles estão lá e estão passando essa ideia a quem assiste, é pq realmente os caras levam a sério o que fazem, tem talento, são responsaveis e etc".
Enfim, foi daí que uma coisa puxou a outra até que eu comprei o cd do Beeshop e quero comprar o do Esteban qnd sair.
Quase furou meu cd de tanto tocar!
Gosto de todas, mas "Go On" e "All I Need" no momento são as mais tocadas!

Parabéns pelo post!