quarta-feira, 28 de abril de 2010

Terceira pessoa (2)

"Eu podia ter evitado tantas coisas!", disse ela, aos prantos.
"Mas você nunca poderia prever...", tentei consolá-la, sem sucesso.

No fundo, eu sabia que ela tinha razão.

Tudo podia ter sido evitado. Não precisava ter sido desse jeito.
"A culpa foi minha. Eu deixei acontecer. Fui caminhando sem olhar onde estava pisando."
Pelo menos ela tinha noção que o erro também era dela.
"Eu podia ter agido daquela forma que agia antes... Simplesmente não acreditar nas mentiras e ignorar o que parecia tão verdadeiro... Porque não fui assim?"
"Talvez porque você precisava dessa mudança pra conseguir ser quem você é hoje.

Ela ficou em silêncio.



Já faz dois anos que ela reclama todo dia, a toda hora, daquela história que ela não escreveu.

"Sempre odiei ser mera coadjuvante!"


Com razão.

Um comentário: