segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

A memória (quase) nunca falha

Sempre amores antigos, sempre o passado.
Sempre o que "poderia ter sido", sempre o que nunca foi.

Nunca o será, o amanhã, o que está por vir.

É como se servisse um prato repleto de dias anteriores e o devorasse, sem previsão de fim.

É o calendário que anda ao contrário, são as lembranças que invadem o presente.

É a falta de coragem de dar o próximo passo e dizer "pronto, passou".


Porque nunca passa, mesmo. Afinal, se passasse, como eu iria lembrar?

4 comentários:

Kafé Universitário disse...

Renuska lindo seu post!
Lembranças são uma parte de nós guardadas numa caixa embrulhada para presente com laço de fita rosa.

Lembranças são o sentido da vida, porque lembrar é reviver, é sonhar é querer ser!

Te sigo
gde abço
Luka

Heron disse...

Eu não gosto de lembranças, por mais bonitas que sejam. Passado é passado e se foi bom, tente fazer dele um presente.

Manda uma carta, um sms ou mesmo ligue para quem se gosta. É um primeiro passo.

Abs!

@TiagoMX disse...

das impossibilidades, a mais bonita é a de olhar para o passado.

Renuska disse...

:)