sexta-feira, 25 de junho de 2010

Ontem

Foi como antes. Foi normal, foi bom, foi rotineiro.
Não doeu, não ardeu, não se manifestou.

Não foi ódio, não foi magoa, não foi rancor.

Ontem, pela primeira vez depois de muito tempo, o peito se encheu, sem se machucar.

Ontem, depois de tanto evitar, chegamos ao ponto final: somos aquilo que sempre torcíamos que desse certo. Aquilo que todo mundo de fora acreditava que éramos, aquilo que fomos destinados a ser.

Daqui em diante, nada mais vai ser igual.

2 comentários:

Rodrigo Teixeira disse...

phoda- com todo o respeito - esse texto.

Renuska disse...

Poxa Rodrigo, obrigada!!!